Pelas nossas contas

_00_MG_0306

Fazendo um balanço destes sete meses em que Pedras Rollantes está aberto para receber visitantes para o Café no Sítio, chegamos a uns números que nos deixaram impressionados.

Como sabem os que já estiveram aqui e aqueles que acompanham nossas publicações no facebook, nosso lugarzinho é mesmo um lugarzinho. Apenas não mais do que 30 pessoas podem ser servidas por tarde. Poderia ser mais, mas se assim fosse, não teríamos como dar a cada um a atenção que consideramos mínima para quem se dispõe a, por exemplo, viajar do litoral até aqui para conhecer o sítio, brincar com a Lucy e o Pen Duick e tomar o café que preparamos.

Porém, trinta pessoas por tarde significa amassarmos e assarmos uns 150 pães de batata, tomate, laranja ou abóbora a cada manhã de sábado e de domingo. Aí, colocando na máquina de calcular, ela nos informa que do nosso forno já saíram quase 8,5 mil pães, que para seu preparado, entre outras coisas, foram usados uns 450 ovos das nossas galinhas, que consumiram, nestes sete meses, bem mais de meia tonelada de milho orgânico plantado e colhido aqui na margem do rio das Águas Frias.

_00_MG_0062
De nosso forno já saíram 8.500 pães

Ainda sobre os ovos que recolhemos a cada manhã, não deu para achar a quantia aproximada dos que foram usados para preparar doces, bolos, sobremesas e pastas, mas acreditamos que uns 2 mil deles já entraram nas misturas levadas às mesas dos visitantes.

Nossas queridas galinhas já colocaram uns 2 mil ovos para deleite dos visitantes do Café

Nós não computamos o número de pessoas que nos visitaram neste tempo em que o café está aberto, mas uma média bem realista nos informa que por nosso portão já passaram mais de 1,2 mil pessoas diferentes, considerando também os visitantes que vieram ao nosso encontro duas, três e até quatro vezes. E isto também significa, pelo menos, o mesmo número de sobremesas preparadas com as frutas que produzimos ou com outras adquiridas de produtores orgânicos aqui de perto.

Mousse de limão siciliano com amora, morango, mirtilo e framboesa dissolvidos em vinho tinto é figurinha repetida nas tarde do Café

Nossa intenção é levar alguma comida nova para as mesas a cada fim de semana. Quase sempre é possível. Para isto, constantemente desenvolvemos ou otimizamos uma nova receita para bolos, pães, pastas e, principalmente, sobremesas. O mousse de limão siciliano com purê de frutas vermelhas dissolvidos em vinho tinto, por exemplo, é uma invenção nossa que agradou tanto aos visitantes que muitos dos que aqui chegam perguntam se ela está no cardápio do dia. E quase sempre está.

Outra criação que não tem mais como sair do cardápio é a tostadinha feita com o Pão da Maerli, coberta com uma generosa porção de pasta de tilápia (receita da casa), servida nas entradas junto com o chá de clemenules e pedacinhos de queijos com geleias orgânicas.  Voltando para a máquina de calcular, descobrimos que a Maerli, padeira aqui de Alfredo Wagner, já nos forneceu, no mínimo, uns 350 de seus maravilhosos pães de mistura de meio quilo cada um. E que as árvores de clemenules já nos deram quase 3 mil folhas para o preparo do delicado chá que acompanha as entradas. E que o Fabiano e a Janinha já nos entregaram uns 100 quilos de seus queijos orgânicos, seja o colonial ou o frescal, temperado ou não. Sem contar a manteiga.

350 pães da Maerli, 100 quilos de queijos orgânicos, centenas de vidros de geleias orgânicas e milhares de folhas de clemenules formam o conjunto de entradas já servidas no Café

Saindo da mesa e da cozinha outros números também nos impressionam. No começo do ano inventamos aquela promoção chamada “Pinhão Para Toda a Vida”, quando os visitantes receberam uma muda de araucária, a plantaram na encosta em frente ao Café e, ao voltaram para casa, levaram o certificado que lhes dá o direito de vir colher até um quarto do que a árvore produzir, por toda a vida. Como resultado, Pedras Rollantes ostenta mais 123 araucárias com raízes nestas terras. E agora, em junho e julho, os visitantes colheram, com suas próprias mãos, perto de meia tonelada de clemenules e outras frutas nas seis semanas em que aconteceu o Colhe e Paga de Citros.

A alegria dos colhedores de quase meia tonelada de clemenules não tem preço

Lá em cima, no segundo parágrafo, citamos o facebook. E foi uma olhadinha na nossa fanpage que nos abriu os olhos para fazer estas continhas. É que numa parte da página está a contagem das avaliações feitas por quem nos acompanha na rede social. Como sabem, estas avaliações são contadas por estrelas e, multiplicando-as pelo úmero de pessoas que nos avaliaram, chegamos a uma constelação formada por quase duas centenas delas brilhando sobre nossas cabeças. Temos 39 avaliações, 38 das quais com cinco estrelas. A avaliadora que nos deu quatro estrelas justificou no texto que acompanha o seu parecer que uma deve ser destinada ao Pen Duick e à Lucy.

Achamos justo!

Os estrelados Pen Duick e Lucy em flagrante obtido em tarde de passeio na Serra Boa Vista